SACERTI Consultores  

Segurança Contra Incêndios Escolas

 
Simulacros
Socorro

O Regulamento Técnico de Segurança Contra Incêndios em Edifícios, aprovado pela Portaria n.º 1532/2008, obriga, as Direcções dos estabelecimentos de ensino a implementar as medidas de autoprotecção nos edifícios que gerem.

De entre as tarefas a desenvolver nessa implementação, salientam-se os simulacros, que são exercícios de evacuação realizados em simulações de situações reais de emergência, tendo em vista melhorar o desempenho de todos os ocupantes do edifício.

Torna-se importante a assegurar a sua realização porque permitem testar os procedimentos previstos nos Planos de Emergência, além de treinar e sensibilizar todos os que estiverem envolvidos nestes exercícios para a temática da segurança contra o risco de incêndio. Consegue-se, desta forma, criar rotinas de comportamento e de actuação adequadas, bem como aperfeiçoar os procedimentos em causa.

Os colaboradores e alunos da escola estão preparados para responder a situações de emergência?

Quando fez, pela ultima vez, um simulacro na escola?

O simulacro foi realizado de acordo com os procedimentos previstos no Plano de Segurança?

Foram nomeados observadores e houve um registo do resultado do exercício?

Salienta-se que o exercício de simulacro só poderá ser realizado após a existência de um plano de segurança aprovado pela entidade competente . De facto, não faz sentido realizar um exercício deste tipo sem que aquilo que queremos testar e treinar esteja devidamente definido. Além disso, para que a realização do simulacro atinja os objectivos pretendidos será aconselhável que a sua preparação seja precedida da implementação de outras medidas de autoprotecção (acções de formação e sensibilização, etc.).

Na preparação do simulacro, importa desenvolver as seguintes actividades:

  • Auditoria às condições de segurança do edifício de forma a determinar o estado de conservação/operacionalidade dos meios materiais, caminhos de evacuação, entre outros. Deverá haver um registo da auditoria e ser definido um cronograma de medidas correctivas/melhoria a implementar com definição dos responsáveis e datas previstas;
  • Acções de formação da equipa de segurança;
  • Acções de sensibilização dos alunos e utentes em geral;
  • Definir data para a realização do exercício e natureza da ocorrência a simular;
  • Definir a equipa de observadores que vão avaliar o exercício;
  • Comunicação da data definida às entidades externas e aos utentes da escola;
  • Acção de formação da equipa de observadores e preparação das listas de verificação para servir de suporte a esta actividade.
Evacuação

As Direcções das escolas devem assegurar a realização de exercícios de simulacro com a periodicidade que se encontra definida na regulamentação acima mencionada, tendo em conta a respectiva categoria de risco. Por exemplo, no caso de edifícios que se enquadrem na 3ª categoria de risco deverão realizar-se simulacros no inicio de cada ano lectivo.

O corpo de bombeiros, em cuja área de actuação própria se situe a escola, e os coordenadores ou delegados da Protecção Civil podem colaborar na realização destes exercícios.

remate

Solicite-nos um orçamento gratuito e sem compromisso para a prestação do serviço de apoio na implementação do Plano de Segurança, em conformidade com as exigências regulamentares.

Os nossos técnicos estão devidamente credenciados pela ANPC para elaboração destes estudos, qualquer que seja a categoria de risco das v/ instalações.

remate
Contacte-nos
SACERTI Consultores
Rua Monte dos Burgos, 482 - 4ºG
4250-311 PORTO
www.sacerti.pt
geral@sacerti.pt
Tel. 228 313 499